Entenda o caso Belo Monte.

O Brasil discute atualmente os problemas que irá causar a implantação da hidrelétrica de Belo Monte. Em 1975 iniciou-se a primeira pesquisa de implantação, mas apenas em 1994 o primeiro estudo ambiental foi remodelado visando causas ambientais e sociais.
Muito tempo e discussões, o IBAMA analisa o projeto e da licença ambiental em 2009, o governo libera o leilão em 2010, e em 2011 concede a licença de instalação, supressão de vegetação, para o canteiro de obras.

O RIA – Relatório de Impacto Ambiental – da hidrelétrica foi executado pela Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Odebrecht e Leme engenharia. Em resumo o relatório explica possíveis progressos econômicos na região, mas mostra a degradação ambiental que será gerada, danos ao patrimônio arqueológicos, interrupção de canais, retirada de vegetação em área de APP – Área de Proteção Permanente – além de outros prejuízos na região onde ocorrerá a inundação.


Após o analise do EIA e RIMA entregue pelas empresas, mostrou que ainda tem muito a ser discutido referente as necessidades econômicas e de desenvolvimento social do Brasil, e o prejuízo ambiental que será gerado. Discussões de ambientalistas e acadêmicos aponta a inviabilidade do projeto e da implantação da usina, caos social, migração desordenada, prejuízo de fauna e flora, além de mostrarem que o governo não fez nenhum estudo ou projeto pra implantação de energia eólica, insistindo que as termoelétricas são as únicas soluções para a possível falta de energia.


2 comentários:

carol disse...

Maravilhoso!!!!

Mariana Prince disse...

ótima matéria. bem explicativa e de fácil entendimento.

Postar um comentário